Dia Internacional das Montanhas (Picos da Europa, Espanha)

As Nações Unidas designaram o dia 11 de Dezembro como o dia Internacional das Montanhas, tendo como tema para o ano 2005 "Turismo sustentável para reduzir a pobreza nas zonas de montanha". Neste dia, diversas associações de montanhismo promoveram actividades que pretendiam alertar as populações urbanas para as dificuldades de desenvolvimento que as populações de montanha enfrentam, que podem ser melhoradas com uma aposta no desenvolvimento sustentado do turismo de montanha. O Núcleo de Escalada da ACERT comemorou este dia com a realização de mais uma actividade de montanhismo. Desta vez o destino foi os Picos da Europa, que são uma emblemática cordilheira montanhosa no Norte de Espanha, onde as actividades de montanha são habituais e onde as populações locais parecem já ter despertado para este facto. Quem se aproxima dos Picos da Europa depara com uma oferta turística muito diversificada de turismo activo que inclui os passeios pedestres, a escalada, os passeios a cavalo, a espeleologia, as descidas de rio, não esquecendo a gastronomia local, o património histórico e ambiental desta região. Nos passados dias 8,9,10 e 11 de Dezembro dois elementos do Núcleo de Escalada da ACERT tiveram a oportunidade de se passear por estas serras, visitando alguns dos locais de maior interesse, nomeadamente o teleférico de Fuente Dé, com um desnível de 800m, a Rota do Rio Cares, que percorre um imponente e deslumbrante desfiladeiro ao longo de 12Km e a ascensão até à base do Pico Urriellu. O Pico Urriellu, também conhecido por Naranju de Bulnes é a montanha mais emblemática de toda a cordilheira. Esta montanha tem uma silhueta inconfundível, que caracteriza-se por ser toda ela um único e imponente bloco de pedra que se ergue cerca de 600m de altura na sua face mais alta e cerca de 200m na face mais acessível. A verticalidade de todas as suas faces confere-lhe um aspecto monolítico e obrigam a que a que a sua ascensão seja feita através de técnicas de escalada. Toda a actividade decorreu sobre terreno nevado o que proporcionou a prática técnicas de alpinismo. De volta a Tondela, questionamo-nos se o potencial turístico da Serra do Caramulo está devidamente aproveitado e se as populações locais beneficiam de alguma forma desta actividade económica.
Prof. Nelson Cunha

1 comentário:

Profundezas... disse...

O belo do Urielo